Dicas de Saúde

Os 16 Principais Sintomas de Doença de Parkinson!

doença de parkinson 1

Os Principais Sintomas de Doença de Parkinson que não devemos ignorar. Além do mais, a Doença de Parkinson é o segundo transtorno neurodegenerativo mais comum e o transtorno do movimento mais comum. A Doença de Parkinson é caracterizada por perda progressiva do controle muscular, o que leva ao tremor dos membros e da cabeça em repouso, rigidez, lentidão e comprometimento do equilíbrio. À medida que os sintomas pioram, pode tornar-se difícil caminhar, conversar e completar tarefas simples. A progressão da Doença de Parkinson e o grau de comprometimento variam de indivíduo a indivíduo. Muitas pessoas com Doença de Parkinson vivem vidas longas produtivas, enquanto outras ficam incapacitadas muito mais rapidamente. A morte prematura geralmente é devido a complicações, tais como lesões relacionadas à queda ou pneumonia.

Os 16 Principais Sintomas de Doença de ParkinsonA maioria das pessoas que desenvolvem a Doença de Parkinson tem 60 anos de idade ou mais. Uma vez que a expectativa de vida global está aumentando, o número de indivíduos com Doença de Parkinson aumentará no futuro. A Doença de Parkinson de início do adulto é mais comum, mas a Doença de Parkinson de início precoce (início entre 21-40 anos) e a Doença de Parkinson juvenil (início antes dos 21 anos de idade) também existem.

As descrições da Doença de Parkinson remontam até 5000 aC. Naquela época, uma antiga civilização indiana denominou a desordem Kampavata e tratou-a com as sementes de uma planta que contém níveis terapêuticos do que hoje se conhece como levodopa. A Doença de Parkinson recebeu o nome do médico britânico James Parkinson, que, em 1817, descreveu a desordem em grande detalhe como “paralisia tremendo”.

Causas de Doença de Parkinson: Uma substância chamada dopamina atua como um mensageiro entre duas áreas do cérebro – a substância negra e o corpo estriado – para produzir movimentos suaves e controlados. A maioria dos sintomas relacionados ao movimento da Doença de Parkinson são causados ​​por falta de dopamina devido à perda de células produtoras de dopamina na substância negra.

Quando a quantidade de dopamina é muito baixa, a comunicação entre a substância negra e o corpo estriado torna-se ineficaz e o movimento diminui; Quanto maior a perda de dopamina, pior os sintomas relacionados ao movimento. Outras células do cérebro também degeneram até certo ponto e podem contribuir para sintomas não relacionados ao movimento da Doença de Parkinson. Embora seja bem sabido que a falta de dopamina causa os sintomas motores da Doença de Parkinson, não está claro por que as células cerebrais produtoras de dopamina se deterioram.

Estudos genéticos e patológicos revelaram que vários processos celulares disfuncionais, inflamação e estresse podem contribuir para danos celulares. Além disso, grupos anormais chamados corpos de Lewy, que contêm a proteína alfa-sinucleína, são encontrados em muitas células cerebrais de indivíduos com Doença de Parkinson. A função desses aglomerados em relação à doença de Parkinson não é compreendida. Em geral, os cientistas suspeitam que a perda de dopamina se deve a uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

Sintomas de Doença de Parkinson: Os principais sintomas de Doença de Parkinson incluem:

  • Tremor – Tremor é definido como movimento rítmico resultante de contrações sincronizadas involuntárias do músculo;
  • Bradicinesia – a bradicinesia é pobreza ou lentidão de movimentos;
  • Visão embaçada;
  • Rigidez – A rigidez pode ser definida como o aumento da resistência ao esticar um músculo passivamente e é comumente associado com bradicinesia.
  • Perda da expressão facial;
  • Redução do piscar de olhos;
  • Alteração na fala;
  • Aumento de salivação;
  • Micrografia, isto é, a caligrafia da pessoa se altera e as letras escritas tornam-se menores;
  • Incontinência urinária.

Sintomas não-Motores da Doença de Parkinson: Além dos sintomas motores apresentados pelo paciente, ele também pode vir a ter diversos sintomas não-motores de causas neurológicas, tais como:

Atualmente não existe uma cura conhecida. No entanto, há muitos tratamentos disponíveis que podem permitir que uma pessoa com Parkinson leve uma vida gratificante e produtiva. Os tratamentos podem ajudar a administrar seus sintomas e proporcionar uma alta qualidade de vida por muitos anos.

Clique para classificar este post!
[Total: 0 Média: %Média%]

Formado em Comunicação Social, especialista em jornalismo digital e SEO, responsável por criar diversos projetos na internet, afim de levar conhecimento à todos sobre saúde, beleza, bem estar, natureza e entretenimento.

1 comentário

  • […] da curcumina. Em um desses estudos, os pesquisadores sugeriram que ela pode ser eficaz contra a doença de Parkinson, uma doença neurodegenerativa que faz com que seu cérebro gradualmente produza níveis mais […]

Deixe um comentário